19 de out de 2010

Tráfico Negreiro


Mais de 11 milhões de negros trazidos para a América. A princípio os "preferidos" eram homens de 8 a 25 anos. Com o tempo,  provavelmente pela escassez de negros na África e dificuldades na captura, eram trazidos também velhos, grávidas e bebês.

Dança triste

Alguns traficantes levavam grupos de escravos para o convés, para que eles fizessem exercício físico. Eles eram obrigados a dançar e cantar, e quem parasse tomava chicotada.

Revolta

Alguns negros se rebelaram e conseguiram tomar seus navios. Foi o que aconteceu com o Amistad, em 1839. Quando não dava certo, todos eram mortos e jogados no mar.

Crianças com medo

Além dos 20 tripulantes do barco, só as crianças podiam circular livremente. Mas, com medo de serem maltradadas, muitas delas pulavam na água e se afogavam.

Banho de gato

Para lavar a boca, os escravos faziam bochechos com vinagre. Para limpar o corpo, só podiam tomar banho duas vezes durante a viagem, que durava meses.

Calor

Um companheiro estava tão desesperado que tentou roubar a faca do homem que entregava água”, contou o escravo Mahommah Baquaqua. No meio das fezes e de uma temperatura que chegava a 55 graus, eles só comiam milho e bebiam meio litro de água por dia.

Estante humana
O porão tinha três patamares, com meio metro de altura cada. Presos pelos pés, mais de 500 escravos se empoleiravam. Sentados ou deitados, eles ficavam parecendo livros em uma estante.

1 comentários:

historiaemfoco.com disse...

Profª Joice, estou retribuindo a visita. Estou de sa´da agora, mas ainda hoje vou ver seu blog com mais calma e continuarei a visitá-lo.

Abração.

@Robhym

Postar um comentário